29/11/18 | 8:33
Oficina Sabor Solidário chega à Vila da Felicidade

Destinada aos profissionais das cozinhas e dos restaurantes comunitários mantidos pela Prefeitura de Manaus e, também aos moradores do entorno desses espaços, a Oficina Sabor Solidário é uma oportunidade para o empreendedorismo e para a economia doméstica. Promovida pelo Fundo Manaus Solidária, a oficina foi realizada nesta quarta-feira, 28/11 na Cozinha Comunitária da Vila da Felicidade, Mauazinho, zona Leste.

Com a participação de chefs de cozinha renomados em Manaus, o Sabor Solidário orienta quanto a utilização de produtos regionais na culinária doméstica e ainda, como o melhor reaproveitamento dos produtos pode se tornar uma oportunidade de geração de renda.

Conforme a presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro a ideia da Oficina Sabor Solidário é somar o conhecimento de vários parceiros especialistas em diferentes áreas da gastronomia, nutrição e negócios para dividir o conhecimento com quem já trabalha nas cozinhas da prefeitura e com pequenos empreendedores.

“Nosso objetivo é trabalhar o Sabor Solidário durante o ano todo e em diferentes espaços mantidos pela prefeitura. Isso é importante para despertar esse cuidado com a alimentação, com o reaproveitamento de ingredientes e com o empreendedorismo, gerando renda e melhorando a vida de quem tem na alimentação o seu ‘ganha pão’”, afirmou.

Participam do projeto Oficina Sabor Solidário os chefes Selma Reis (Zefinha Amazonas), André Parente (Cachaçaria do Dedé), Hiroya Takano (Shin Suzuran), Felipe Schaedler (Banzeiro Comida Amazônica) e Fernando Souza (Alquimia Arte Culinária).

Cozinha prática

Nesta quarta-feira, a oficina foi ministrada pelo chef Fernando Souza, que ensinou sobre cortes de carnes menos convencionais, armazenagem e melhor preparo e apresentação do churrasquinho.

Especialista em cozinha prática, na cozinha do dia a dia, Fernando ensinou as 20 alunas da cozinha da Vila da Felicidade sobre a melhor forma de cortar a carne, os temperos para deixá-las mais saborosas ao paladar, formas de apresentação para que se tornem mais agradáveis aos olhos e também sobre pontos de cozimentos. Para uma “plateia” atenta, ele mostrou também como utilizar a banana no vinagrete e como incrementar a farofa com cascas das bananas.

Animado com a participação na oficina Sabor Solidário, Fernando disse que o mais interessante é poder ensinar técnicas para que as pessoas consigam cozinhar melhor, fazer com que a comida seja realizada de maneira econômica e que isso permita um ganho real, em casa ou no trabalho. Além disso, o chef ressaltou a importância de compartilhar conhecimento e, dessa forma, permitir novas oportunidades de vida.

“Vim para falar sobre os tipos de carne, formas de assar, de temperar e de comercializar esse tipo de produto, mas não só sobre isso. Para mim é sempre gratificante partilhar conhecimento e a melhor maneira de compartilhar é entregando o que a gente conhece. Ensinando as pessoas, sensibilizando e tornando a vida das pessoas melhores. Um dos motivos de quando a gente cozinha é tornar a vida das pessoas melhor através da comida, do alimento e do preparo”, opinou.

Moradora da Vila da Felicidade há mais de 30 anos, Maria Lúcia Correia, 61, ao final da oficina era só alegria e agradecimentos pela oportunidade. Ela, que há 10 anos vendia churrasquinho para ajudar na renda familiar, teve a chance de reciclar seus conhecimentos e de aprender sobre o reaproveitamento das cascas de bananas que antes iam parar no lixo.

“Gostei muito dessa oficina, isso permite que a gente vá aprendendo cada vez mais sobre alimentação. Eu já trabalhei com churrasquinho e só parei porque adoeci. Eu, particularmente, já sabia como cortar carne, como temperar, mas para mim foi novidade o uso da banana no vinagrete e da casca da banana na farofa. Eu sempre jogava fora e agora elas terão um novo destino. Nenhuma casa de banana mais vai para o lixo”, disse.

Vice-presidente do Manaus Solidária, Mônica Santaella ressaltou a importância da oficina, especialmente, em áreas de maior vulnerabilidade social. Segundo ela, o Sabor Solidário leva qualidade e oportunidade de qualificação.

“A proposta é proporcionar novos recursos para as pessoas que trabalham vendendo comida para fora, incrementar os negócios dessas pessoas que trabalham de maneira informal e também aperfeiçoar os conhecimentos das profissionais que trabalham nas cozinhas comunitárias da prefeitura. É a proposta da nossa presidente e do prefeito Arthur Neto, a de ampliar as oportunidades de geração de renda e de emprego para as pessoas da nossa cidade”, finalizou.

Além do Fundo Manaus Solidária e da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), o Sabor Solidário conta com a parceria da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) e da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

— — —

Texto: Michele Gouvêa / Manaus Solidária

Fotos: Karla Vieira / Manaus Solidária

Disponíveis emhttps://flic.kr/s/aHsmnHVRUu

E

Altemar Alcântara / Semcom

Disponíveis emhttps://flic.kr/s/aHskN6Eixy