27/11/18 | 8:39
Ação dá início aos 16 dias de ativismo pelo Fim da Violência contra Mulheres em Manaus

Uma ação de sensibilização com faixas, cartazes e panfletagem para os motoristas que passavam pelas proximidades da rotatória do Eldorado no bairro Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, marcou o início de Manaus, na campanha em prol dos 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra Mulheres, na tarde desta segunda-feira 26/11.

No município, a campanha é promovida pela Prefeitura de Manaus, por meio da Subsecretaria de Políticas Afirmativas para as Mulheres da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh). A campanha tem o intuito de mobilizar a população para que denuncie todos os tipos de violência praticados contra as mulheres.

“Temos que colocar um fim nessa cultura do silêncio. Aderimos ao movimento por determinação do prefeito Arthur Neto, pois quando Manaus adere ao ativismo essas vítimas se sentem amparadas.  Nossa sociedade precisa participar mais das ações de enfrentamento a violência contra mulheres. Nesse ano escolhemos o tema “Nos Ajude a Quebrar o Silêncio”, frisou Socorro Sampaio, subsecretária municipal da mulher.

De janeiro a novembro de 2018, ao menos 6589 mulheres foram atendidas pela Subsecretaria de Políticas Afirmativas para Mulheres.

“O maior número de mulheres atendidas é por conta de violência doméstica, mas também atendemos aquelas mulheres em situação de vulnerabilidade social e econômica. Por meio de parcerias levamos cursos de capacitação para que elas adquiram autonomia e sejam inseridas no mercado de trabalho”, destacou Socorro.

 

Ativismo

Em todo o País, a campanha tem início no dia 20/11, e no restante do mundo, a iniciativa tem início no dia 25 de novembro, Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher e segue até dia 10/12, data em que foi proclamada a Declaração dos Direitos Humanos.

Para o motorista, Jander Aguiar, 49, que passava pela rotatória do Eldorado, a ação é de grande importância já que vem se evidenciando diversos crimes envolvendo mulheres na cidade.

“Sensibilizar é preciso, pois muitas mulheres desconhecem um local para buscar ajuda quando sofrem algum tipo de violência, além disso é interessante divulgar os canais de denúncia”, destacou Jander.

Canal de Denúncia

A rede de proteção municipal possui dois canais de comunicação para qualquer mulher que sofrer ou conhecer qualquer situação de violação de direitos: Disque Direitos Humanos (0800 092 6644) e o Disque Denúncia (0900 092 1407), além do próprio número da Subsecretaria de Políticas Afirmativas para Mulheres (3214-5080) e o Disque Denúncia Nacional (180).

Programação

Na próxima sexta-feira 30, uma ação de cidadania será ofertada ao público feminino. Serão oferecidos serviços de emissão de documentação (Carteira de Trabalho, Certidão de Nascimento, RG, inserção no Cadastro Único (CadÚnico), atendimento psicossocial e jurídico, além de rodas de conversas.

O atendimento será das 8h às 12h, na sede da Subsecretaria de Políticas Afirmativas para as Mulheres, no conjunto Duque de Caxias, Flores, zona Centro-Sul.

— — —

 

Texto: Alexsandro Machado/ Semmasdh

Fotos:  Nathalie Brasil / Semcom

 

Disponíveis emhttps://flic.kr/s/aHsmwzS93v

Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh): 98842-2266