08/08/18 | 15:31
Abrigo do Coroado recebe adequações para atender imigrantes venezuelanos

 

O antigo abrigo do Coroado, zona Leste, foi devolvido à Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), na última sexta-feira, 3/8, e submetido as reformas de adequação para o recebimento de 200 imigrantes venezuelanos, cumprindo o estabelecido pelo Plano de Interiorização do Governo Federal.

 

As obras foram realizadas pelo Alto Comissariado das Nações Unidas (Acnur), atendendo as necessidades apontadas no Plano de Ação Humanitária para Atendimento do Fluxo Migratório Venezuelano, da Prefeitura de Manaus. Entre as adequações estão a montagem de divisórias para separação de quartos, instalação de cozinha industrial e ventiladores.

 

Agora, a Semmasdh inicia a complementação das adequações que envolvem a implantação de uma lavanderia e a construção de um tablado para que sejam instaladas tendas. Beliches, colchões e armários deverão ser levados para o abrigo a partir da próxima semana. A expectativa é que até o fim de agosto o espaço já esteja completamente concluído e apto a receber os imigrantes.

 

“Nós vamos dar início à segunda fase das obras que é a organização do espaço. Nossa equipe de manutenção da secretaria está indo para o abrigo para poder fazer toda a limpeza, capinação da área, elétrica e outros pequenos reparos que precisamos resolver”, afirmou a subsecretária operacional da Semmasdh, Jane Mara Moraes.

 

Processo Seletivo

 

O Plano estabelecido pela Prefeitura de Manaus envolve a contratação de corpo técnico, por meio de Processo Seletivo. Serão assistentes sociais, psicólogos, tradutores, auxiliares administrativos e antropólogo. Os profissionais irão atuar nas três casas de acolhimento.

 

O Edital será publicado no Diário Oficial do Município (DOM), ainda nesta semana.

 

Sobre o Abrigo

 

O espaço, que em 2017 era gerenciado pelo Governo do Estado, chegou a acolher 300 indígenas venezuelanos warao, mas foi fechado no fim do ano, após o fluxo migratório reduzir drasticamente. Com o aumento da imigração venezuelana, registrada no primeiro semestre de 2018, desta vez com maior intensidade de não indígenas, o abrigo será reaberto, mas agora sob a responsabilidade da Prefeitura de Manaus.

 

Além do abrigamento, a Semmasdh será a responsável pela alimentação, materiais de higiene, equipe técnica, ações de saúde, educação, trabalho e auxílio na emissão de documentos, com aporte financeiro do Governo Federal.

 

No próximo dia 16, a Casa Civil da Presidência da República realizará, em Manaus, um seminário para discutir as estratégias de empregabilidade de migrantes e esclarecer dúvidas sobre a nova Lei de Migração.

 

Além da Casa Civil, participam do evento o Ministério da Defesa, Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e o Ministério do Trabalho. O seminário será realizado na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), na avenida Joaquim Nabuco, Centro.

 

Venezuelanos em Manaus

Atualmente, a Semmasdh atende 384 venezuelanos em duas casas de acolhimento, sendo 253 indígenas warao e 80 criollos (não indígenas) no abrigo Alfredo Nascimento, zona Norte, e 51 indígenas warao no abrigo Tarumã, Centro.

— — —

Texto: Leonardo Fierro / Semmasdh

Fotos: Assessoria da Semmasdh